Qual o cerne das Competências Socioemocionais e onde são promovidas?

A Aprendizagem Socioemocional (SEL – sigla em inglês de Social and Emotional Learning) é uma parte que integra a educação e o desenvolvimento humano. SEL é o processo pelo qual todos os jovens e adultos adquirem e aplicam conhecimentos, habilidades e atitudes para desenvolverem de maneira saudável suas próprias identidades, gerenciar emoções, alcançar objetivos pessoais e coletivos, sentir e demonstrar empatia pelo próximo, manter relacionamentos de apoio e tomar decisões cuidadosas e responsáveis.

“Essa é uma tradução interpretativa do conteúdo: CASEL’S SEL FRAMEWORK: What Are the Core Competence Areas and Where Are They Promoted?, publicado pela Casel

A SEL possibilita avançar o processo de equidade e excelência educacional, através de relações de parceria entre escolas e comunidade, com o objetivo de estabelecer ambientes de aprendizagem e experiências, com características de confiança e relacionamentos colaborativos, currículos rigorosos e significativos, instruções e avaliações contínuas. A Aprendizagem Socioemocional pode ajudar de várias maneiras a abordar a desigualdade e apoiar jovens e adultos para cocriarem escolas prósperas e contribuírem para o desenvolvimento de comunidades seguras, saudáveis e justas.

SEL 5

Aborda amplamente cinco áreas de competências inter-relacionadas: autoconsciência, autogerenciamento, consciência social, habilidades de relacionamento e tomada de decisão responsável.  A SEL 5 pode ser ensinada e aplicada em diversos estágios de desenvolvimento (da infância à fase adulta), através de diversos contexto culturais para articular o que os alunos deviam saber e serem capazes de pôr em prática para o sucesso acadêmico, engajamento escolar, saúde, bem-estar e suas carreiras.

Qual o cerne das Competências Socioemocionais e onde são promovidas?

Autoconsciência

A habilidade de reconhecer com precisão as próprias emoções, pensamentos, valores e como eles influenciam o comportamento. Ter a capacidade de avaliar os próprios pontos fortes e limitações, com senso de confiança bem fundamentado, otimista e com um mindset de crescimento:

  • Reconhecimento dos pontos fortes;
  • Identificação de emoções;
  • Autopercepção;
  • Autoconfiança;
  • Autoeficácia.

Autogerenciamento

Habilidade de controlar com sucesso as emoções, pensamentos e comportamentos em diferentes situações. Administrando de maneira eficaz o estresse, controlando impulsos e se mantendo motivado. Trata-se de possuir a capacidade de definir e trabalhar em direção aos objetivos acadêmicos e pessoais:

  • Controle de impulsos;
  • Gerenciamento do estresse;
  • Definição de metas;
  • Habilidades organizacionais;
  • Autodisciplina;
  • Automotivação.

Consciência Social

Capacidade de entender a perspectiva e ter empatia por outras pessoas, incluindo aquelas de origens e culturas diferentes. Ter a habilidade de conseguir compreender as normas éticas e sociais de comportamento, reconhecer os recursos de apoio familiar, escolar e da comunidade:

  • Entendimento de perspectivas;
  • Valorização da diversidade;
  • Respeito pelos outros;
  • Empatia.

Habilidades de relacionamento

Capacidade de criar e manter relacionamentos saudáveis e satisfatórios com diversas pessoas e grupos. Habilidade de se comunicar com clareza, ouvir bem, colaborar com outras pessoas, resistir a pressões sociais, solucionar conflitos de maneira construtiva e oferecer ajuda quando necessário:

  • Comunicação;
  • Trabalho em equipe;
  • Compromisso social;
  • Construção de relacionamento.

Tomada de decisão responsável

Capacidade de fazer escolhas construtivas sobre comportamentos pessoais e interações sociais, com base nos padrões éticos, leis sociais e segurança. Conseguir realizar uma avaliação realista das consequências de várias ações em relação ao próprio bem-estar e o dos outros.

  • Responsabilidade ética;
  • Identificação de problemas;
  • Resolução de problemas;
  • Análise de situações;
  • Avaliação;
  • Reflexão.

Pontos-chaves

A estrutura possui uma abordagem sistêmica que enfatiza a importância de estabelecer ambientes igualitários de aprendizagem e coordenar práticas em ambientes-chaves para aprimorar o aprendizado social, emocional e acadêmico de todos os alunos. É mais benéfico integrar a Aprendizagem Socioemocional em todas as disciplinas acadêmicas, na cultura escolar, em um contexto mais amplo de práticas e políticas em todas as escolas e através da colaboração contínua com familiares e organizações comunitárias.

Esses esforços devem ser coordenados e promoverem a voz, a atuação e o envolvimento dos jovens. Estabelecer ambientes de apoio em salas de aulas e escolas, abordar de maneira mais ampla as disciplinas, melhorar as competências SEL dos adultos e estabelecer parcerias autênticas entre familiares e comunidade.

Salas de aula

As competências socioemocionais podem ser aprimoradas usando uma variedade de abordagens baseadas em salas de aula, como por exemplo:

  1. Instrução explícita sobre as habilidades socioemocionais ensinadas e praticadas de maneira desenvolvedora, contextual e culturalmente receptivas;
  2. Ensinamento de práticas como a aprendizagem cooperativa e baseada em projetos;
  3. Integração da Aprendizagem Socioemocional em currículos acadêmicos, como artes de linguagem, matemática, ciências, estudos sociais, saúde e artes cênicas.

As instruções de alta qualidade SEL possuem quatro elementos representados pela sigla SAFE:

Sequência: seguindo um conjunto coordenado de abordagens de treinamentos para promover o desenvolvimento de competências;
Ativo: enfatizando formas ativas de aprender para ajudar os alunos a praticar e dominar novas habilidades;
Foco: implementação de disciplinas que enfatizam intencionalmente o desenvolvimento das competências SEL;
Explícito: definir e direcionar atitudes, habilidades e conhecimentos específicos.

As instruções SEL são realizadas de forma mais eficaz em ambientes seguros e estimulantes, caracterizados por relacionamentos cuidadosos e positivos entre alunos e professores. Para facilitar a instrução culturalmente responsiva e adequada de acordo com a idade, os adultos devem compreender e apreciar os pontos fortes, as necessidades exclusivas de cada aluno e apoiar a identidades de cada um.

Quando os adultos incorporam as experiências pessoais, as origens culturais e buscam as contribuições dos estudantes, eles criam um ambiente de sala de aula inclusivo onde os alunos são parceiros no processo educacional, elevando a sua própria atuação. Relações fortes entre adultos e jovens podem facilitar a coaprendizagem, promover o crescimento e gerar soluções colaborativas para preocupações em comum.

Escolas

A integração efetiva da Aprendizagem Socioemocional em toda uma escola envolve planejamento, implementação, avaliação e melhorias contínuas por todos os membros da comunidade escolar. Os esforços voltados para a SEL contribuem e dependem de um clima escolar onde todos os alunos e adultos se sentem apoiados, engajados e apoiados.

Pela razão das escolas possuírem muitos contextos – salas de aula, corredores, refeitórios, playground – promover um ambiente cultural saudável, exige o envolvimento ativo de todos os adultos e alunos. Uma cultura escolar forte está enraizada no senso de pertencimento dos estudantes, com evidências que sugerem que a cultura desempenha um papel crucial no envolvimento dos alunos.

A Aprendizagem Socioemocional também oferece uma oportunidade de integrar os sistemas existentes de apoio ao aluno, aos objetivos e práticas universais SEL, através de direcionamento, suporte acadêmico e comportamental intensivo. Ao coordenar e desenvolver a pratica e programas SEL, as escolas podem desenvolver um ambiente que integre todas as partes da experiência educacional dos estudantes e promover resultados, sociais, emocionais e acadêmicos.

Famílias

Quando escolas e famílias formam parcerias, podem construir conexões fortes e que reforcem o desenvolvimento socioemocional dos estudantes. Famílias e cuidadores são os primeiros professores das crianças e possuem um conhecimento profundo sobre seu desenvolvimento, experiências, cultura e necessidades de aprendizagem. Essas informações e perspectivas são essenciais para apoiar e sustentar os esforços da Aprendizagem Socioemocional.

Programas SEL baseados em evidências, são mais eficazes quando se estendem para o lar e as famílias são mais propensas a formar parcerias com as escolas quando as normas, valores e representações culturais refletem suas próprias experiências. As escolas precisam de tomadas de decisões inclusivas, que garantam que as famílias (especialmente aquelas com origem de grupos marginalizados) façam parte do planejamento, implementação e melhoria contínua da Aprendizagem Socioemocional.

As escolas também podem criar outros caminhos para desenvolver parcerias com as famílias, que podem incluir: uma comunicação contínua, ajudando os cuidadores a entenderem o desenvolvimento infantil, apoiando os professores na compreensão das origens culturais das famílias, oferecendo oportunidades para voluntariado nas escolas, proporcionando atividades de aprendizagem em casa e coordenando os serviços familiares com parceiros da comunidade.

Esses esforços devem envolver as famílias na compreensão, experiência, informação e apoio ao desenvolvimento social e emocional dos estudantes.

Comunidade

Muitas vezes, os parceiros da comunidade fornecem ambientes seguros e ricos para o desenvolvimento e aprendizagem, possuem uma compreensão profunda dos recursos e necessidades da comunidade, são vistos como parceiros de confiança das famílias e estudantes, e possuem conexões com serviços de suporte que as escolas e famílias precisam.

Os programas comunitários também oferecem oportunidades para os jovens praticarem suas habilidades socioemocionais, em ambientes relevantes e que podem abrir oportunidades para o futuro deles. Para integrar os esforços  da SEL ao dia-a-dia escolar e fora da escola, os colaboradores da escola e os parceiros da comunidade precisam alinhar a comunicação e coordenar estratégias em torno dos esforços e iniciativas relacionadas à Aprendizagem Socioemocional.

Estudantes, famílias, escolas e comunidade fazem parte de sistemas mais amplos que moldam o aprendizado, o desenvolvimento e as experiências. As desigualdades baseadas nas classes, etnias, raça, idioma, identidade de gênero, orientação sexual e outros fatores, são profundamente enraizados na grande maioria desses sistemas e afetam a aprendizagem social, emocional e acadêmica de jovens e adultos. Embora a Aprendizagem Socioemocional não resolva todas as desigualdades profundas e duradouras no sistema educacional, ela pode criar condições necessárias para que pessoas e escolas examinem e interrompam as práticas de políticas injustas, criem ambientes de aprendizagem mais inclusivos e expressem o interesse natural de todos.

Fonte:Casel: Core SEL competencies

Veja também

5 maneiras de amenizar o Turnover dentro da sua empresa

Uma alta taxa de Turnover, ou rotatividade de pessoal, pode afetar a lucratividade, produção e o ambiente organizacional dentro de uma empresa.

5 mitos ou verdades sobre a educação a distância

No dia Nacional da Educação a Distância, separamos alguns mitos e verdades sobre o tema.