Gamificação, games, jogos sérios e design de games para treinamentos corporativos

Mesmo possuindo estruturas e objetivos diferentes, essas estratégias podem ser utilizadas em ambientes corporativos, para potencializar o engajamento dos colaboradores e o resultados dos treinamentos.

A gamificação pode fazer parte da  elaboração dos treinamentos ou das rotinas da sua empresa. Mas, é importante diferenciar a gamificação de outras metodologias, principalmente, em relação a estrutura, objetivo e potencial pedagógico de cada um. Por exemplo, game, gamificação, design de games e jogos sérios podem ser utilizados em ambientes corporativos em diferentes contextos. Mas, qual o significado de cada um desses termos?

Gamificação

Metodologia que aplica dinâmicas, mecânicas e componentes dos jogos para aumentar a motivação e o engajamento das pessoas, reproduzindo os mesmos benefícios alcançados quando jogamos. Dentre esses elementos, podemos citar: pontos, níveis, rankings, emblemas/medalhas, missões, desafios, ciclos de engajamento, fases, feedbacks, narrativas, times.  Por exemplo: um gestor elabora um programa de recompensas para os colaboradores que mais se dedicarem às atividades propostas nos diferentes treinamentos realizados durante um ano, envolvendo diferentes níveis e categorias que são traduzidas em pontos, medalhas, estabelecendo missões e fases cuja pontuação pode ser diferenciada caso o colaborador trabalhe individualmente ou colaborativamente. 

Games e Jogos sérios

É a seleção de um jogo eletrônico ou físico que já possui suas regras, narrativas e estratégias. Esse jogo pode ser usado com objetivo específico (identificado por você de acordo com o que deseja trabalhar em um treinamento) ou com o objetivo de entretenimento, distração. Ele pode ser um jogo que já existe no mercado ou pode ser um jogo que será planejado e produzido, especificamente, para trabalhar temáticas específicas de um treinamento. 

Quando um jogo não foi criado e/ou planejado especificamente para ser usado no ambiente corporativo, mas é adaptado para atender objetivos específicos, ele pode ser chamado de jogo sério.  Assim, a proposta do jogo deixa de ser apenas a distração ou entretenimento e passa a contemplar objetivos específicos de um treinamento. Tudo parte do objetivo e da escolha do recurso. O jogo é um recurso como o uso do vídeo ou como uma outra metodologia ativa (link para texto). 

Game Design

Estratégia de construção de jogos (físicos ou digitais) com o objetivo de desenvolver competências e habilidades relacionadas à elaboração de jogos e de aprofundar no conceito/habilidade que o jogo pode desenvolver nos participantes.

Por exemplo, as pessoas assumem o papel de um game designer e criam um jogo desempenhando um papel específico e exercitando habilidades como: criatividade, colaboração e autonomia. Essa proposta pode ser desenvolvida em sincronia com a Aprendizagem Baseada em Problema. O gestor pode criar um problema ao redor da construção de um jogo, que deve ser elaborado em torno de conteúdos específicos.

A principal diferença é que o game é um produto, gamificação é processo. Ou seja, quando você aplica uma atividade ou uma sequência de atividades com a lógica tradicional, propõe uma avaliação final quantitativa e coloca essas notas finais em um ranking, você não está gamificando. 

O mais importante é usar cada uma dessas possibilidades com base em objetivos bem delineados e estratégias bem planejadas. 

Gostaria de saber como a gamificação ou os games podem maximizar os resultados dos treinamentos da sua organização e potencializar o desenvolvimento dos seus colaboradores?

Veja também

5 maneiras de amenizar o Turnover dentro da sua empresa

Uma alta taxa de Turnover, ou rotatividade de pessoal, pode afetar a lucratividade, produção e o ambiente organizacional dentro de uma empresa.

5 mitos ou verdades sobre a educação a distância

No dia Nacional da Educação a Distância, separamos alguns mitos e verdades sobre o tema.